Como reconstruir a catedral? Prefácio de Joaquim Félix de Carvalho em destaque no 7Margens

Thursday, July 7, 2022 - 10:40

Antigo aluno da Faculdade de Teologia, padre Miguel Rodrigues, publicou, recentemente, o livro Reconstruir o Rumor de Deus: para uma teologia estética da revelação. A apresentação da obra, dia 6 de julho na Igreja Matriz de Vila do Conde, esteve a cargo do arcebispo de Braga, D. José Cordeiro, e Professor João Duque.

A obra corresponde à tese defendida no início do ano pelo seu autor, que terminou em 2022 o 2.º grau canónico, no curso de Doutoramento, pela Faculdade de Teologia.

O prefácio, que o Jornal digital 7Margens reproduz, com uma seleção de imagens muito apelativa, é da autoria do Professor Joaquim Félix de Carvalho, "que tem dinamizado várias iniciativas no campo da renovação litúrgica – como a construção da Capela Árvore da Vida, por exemplo" (7Margens).

O Professor Joaquim Félix descreveu o livro como «surpreendente obra» que convoca «à suspensão e ao suspense, do pensamento previsível e da sã curiosidade, para, de olhar transfigurado, relermo-nos na sua admirável artesiana textual e epifania imagética». 

Instalação numa das janelas da Chiesa Di San Giovanni Battista ou dell’Autostrada del Sole, em Campi Bisenzio, perto de Florença, Itália, concebida pelo arquiteto Giovanni Michelucci. Fotografia © Joaquim Félix
 

"Do rumorejante habitar 

Mais do que sossego, primeiro, sugiro um sobressalto. Saltar por demoras. Isto é, para mergulhar na surpreendente obra com que Miguel Rodrigues nos presenteia. Porque, com ele, somos convocados à suspensão e ao suspense, do pensamento previsível e da chã curiosidade, para, de olhar transfigurado, relermo-nos na sua admirável artesiana textual e epifania imagética. Sem dúvida, este corpus implica-nos. Irá deixar-nos interrogativos e tomados de silente espanto. Para, quem dera, evitarmos a capitulação na ‘heresia’ da indiferença à hospitalidade do diverso, na coragem e delicadeza de encontrar, segundo o convite do Papa Francisco, «os novos sinais, os novos símbolos, uma nova carne para a transmissão da Palavra, as diversas formas de beleza que se manifestam em diferentes âmbitos culturais, incluindo aquelas modalidades não convencionais de beleza que podem ser pouco significativas para os evangelizadores, mas tornaram-se particularmente atraentes para os outros» (Evangelii Gaudium, 167)."

Nota: Prefácio completo no Jornal digital 7MARGENS